O “novo normal” não existe

A imprensa e alguns “especialistas” tentam, desde o começo da quarentena, nos vender a ideia do “novo normal”.

De acordo com a teoria, o mundo mudará por conta da pandemia do coronavírus e o comportamento humano será duramente afetado/modificado.

Bom, não é o que parece. Pelo menos neste momento da história.

Aqui, em Americana, o comércio varejista reabriu as portas depois de quase 70 dias. O mesmo movimento aconteceu em várias cidades do Estado de São Paulo, como parte do plano de reabertura. E sabe o que aconteceu? A região central encheu de gente.

Durante a quarentena, assisti muitas lives e estudei bastante sobre os assuntos que tinham alguma relação com marketing. As pessoas que trabalham e estudam os comportamentos do consumidor são unânimes em dizer que pouca coisa vai mudar.

É claro que a crise financeira, que vai chegar, forçará as pessoas a comprarem menos. Mas isso vai acontecer por falta de dinheiro, e não porque ficaram refletindo, durante a quarentena, sobre seus hábitos de consumo.

O “povo”, quando tem dinheiro na mão, quer gastar e comprar. Faz parte de uma cultura, por isso é tão difícil dizer com certeza que um evento como a pandemia vai abalar a relação que as pessoas tem com o consumo.

Ainda é cedo, muita coisa vai acontecer até encontrarmos uma vacina – vai ter? -, mas é bem provável que este “novo normal” não vire moda por aqui. Pelo menos não no Brasil.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s