Foco total no seu cliente: você não tem munição suficiente para atingir todos os alvos (com vídeo)

Com o tempo, percebemos que tentar agradar todos os clientes é um erro que precisa ser evitado.

Você levanta cedo e abre as portas do seu negócio esperando que os clientes apareçam, entrem e comprem seus produtos. Achamos que qualquer pessoa que passe na porta da nossa empresa é um potencial cliente. Será?

Precisamos vender. Não importa se você fabrica, vende ou revende um produto. Não importa nem se trabalha com produtos físicos ou serviços – que segue a mesma lógica. O certo é que, independente do mercado, todos nós precisamos vender.

E em todos os casos existe um elemento que assusta: a insegurança.

Ela, a insegurança, aflora os nervos e joga a ansiedade nas alturas. Mesmo sem tanta munição, queremos atirar em todos os alvos possíveis para efetuar as vendas.

A realidade não é bem assim. Devemos escolher nossos clientes com calma, mesmo desesperados para colocar dinheiro no caixa. A solução é atender apenas os clientes que possam se beneficiar dos nossos produtos ou serviços.

Num mundo com tantas possibilidades, querer agradar todas as pessoas é um erro que não pode ser cometido. Os clientes são cada vez mais exigentes e cada um quer de um jeito. Ouvir todos e querer agradá-los é impossível.

Por isso que existem as personas.

Personas, se você ainda não sabe, é a definição de grupos de clientes que possuem características semelhantes que interessam para o seu produto ou serviço. É o famoso público alvo.

Definindo as personas do seu negócio, você vai trabalhar focado nesses grupos. Ou seja, você sabe quem são os clientes e tem a solução pra eles. A tarefa agora é procurá-los e saber se comunicar quando encontrá-los.

O mais interessante é que um negócio não possui apenas uma persona. Podem ser várias – é recomendado no máximo 5 -, e dentro de cada grupo você vai trabalhar e se comunicar de maneira diferente. A intenção é acertar em cheio estas pessoas, mostrando o que elas querem (seu produto que resolve um problema) com a linguagem apropriada. Sem deixar de lado, claro, o canal por onde essa mensagem vai passar até chegar nesses clientes.

No vídeo abaixo, falo um pouco sobre o grande erro que é querer agradar todas as pessoas. E falo também de como um produto simples, como um suco de garrafinha cheio de açúcar, pode ser odiado por algumas pessoas e amado por outras. É um exemplo real que aconteceu comigo.

Espero que goste e, caso tenha alguma dúvida, entre em contato.

Só apertar o play no meio do vídeo e assistir.

4 comentários

  1. Isso ai Leandro, se nem O Maior de todos agradou a todos, como poderiam nossos negócios fazer isso?
    O importante é nos mantermos abertos porque muitas vezes o que temos a oferecer nem nós mesmos imaginamos onde está este cliente, como você bem coloca no vídeo quando fala do representante ( consumidor final) de Minas Gerais.
    Parabéns!!!

    Curtir

    1. Exatamente.
      Mesmo que a gente tenha foco e objetivo, é sempre bom estar pronto para se adaptar quando situações diferentes aparecem. As coisas mudam muito rapidamente.

      Curtir

    1. Ana, como diz o poeta (um pouco desconhecido, eu sei): “a gente vale o quanto tenta!”. Se é assim, a gente vai se virando e vai fazendo. Uma hora a gente acerta. 🙂

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s